quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Entrevista concedida ao "espaço aberto literatura", globonews, 26/04/2008

Primeiros Fragmentos da entrevista concedida a Edney Silvestre, para o programa Espaço Aberto Literatura, Globonews, no dia 26 de Abril de 2008



Edney Silvestre: Como vocês têm lidado com o assédio inicial, pelo fato de serem tomados como os principais autores do novo milênio, quiçá de toda a história da literatura?

O Cânone: O que não se pode evitar deve sofrer-se, Edney. Depois de amanhã o carneiro perde a lã. Quando um perde o outro ganha. Só estão incomodados os que cairão no esquecimento. Definimos isso como ‘Complexo de Aquiles”. Só aceitamos o assédio do público interessado.

ES: Vocês consideram relevantes as críticas dos autores que afirmam que o status canônico só pode ser atribuído através da recepção?

OC: Padres, pombos e primos, onde entram sujam. O nosso rebento, meio ano atrás, foi calçando polainas estrangeiras e tremendo de frio num casaquinho sem forro...

ES: Harold Bloom afirma que para ler Shakespeare hoje só é possível depois de ler vossa peça, Édipo Servo. Vocês concordam?

OC: Cada porco tem seu São Martinho. Até mesmo porque, Edney, o hábito elegante cobre às vezes um tratante. Shakespeare, como bom filho, à casa torna.

.

4 comentários:

Luiz Coelho disse...

mto arrogante o projeto de vcs, hein! mas o que mais me incomoda são as inverdades.

Fernando Quirino Lobo disse...

megalomania esquizofrênica

raissa disse...

Hahahhahha! Mas sabe o que é melhor? Na resposta vcs colocam o nome de Edney entre vírgulas, isso lhes dá uma superioridade paciente que é demais!

Canônico, demasiadamente Canônico disse...

Seu Coelho, a pêra, quando madura, há de cair. Aí é que está o busílis, a cerne da questão. Inverdades não adubam a sopa.